terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Rua Mário Dionísio

Mário Dionísio


Mário Dionísio (Lisboa, 16 de Julho de 1916 - Lisboa, 17 de Novembro de 1993) foi um escritor e pintor português do século XX. Licenciou-se em Filologia Românica em 1940 na Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa.

Foi professor do ensino liceal/secundário e depois da Revolução dos Cravos da Faculdade de Letras, onde havia tirado o curso. Interveio em diversas conferências, debates, além de ter colaborado em publicações periódicas como a Seara Nova, Vértice ou Diário de Lisboa e foi também tradutor.

Prefaciou diversos autores como Manuel da Fonseca, Carlos de Oliveira e José Cardoso Pires e Alves Redol. Sensibilizado pela pintura, não só pintou como lhe dedicou alguns livros, como por exemplo A Paleta e o Mundo. Enquanto pintor, usou os pseudónimos de Leandro Gil e José Alfredo Chaves. Participou em diversas exposições colectivas, tendo em 1989 realizado a sua primeira exposição dedicada em exclusivo à sua pintura.




«Reunião Clandestina», óleo s/ tela, 97 x 130, 1947. Exposto na III EGAP (1948), na exposição Arte Moderna -Vértice (1949), em Almada (1949), com o título «Interior»; na Galeria Nasoni (1989), no Celeiro da Patriarcal de Vila Franca de Xira (1991), CAM da FCG (1991), na exposição Neo-Realismo/Neo-Realismos (1996), no Museu da Resistência e Coimbra (1996), na Abril em Maio (2001), na exposição «Um tempo, um Lugar» em Vila Franca de Xira (2005).
Obras

Poemas e Ficção

Poemas (1941)
O Dia Cinzento (1944)
Solicitações e Emboscadas (1945)
O Riso Dissonante (1950)
Memória dum Pintor Desconhecido (1965)
Poesia Incompleta (1966, onde reuniu toda a obra publicada até então)
Le Feu qui Dort (1967)
Não Há Morte Nem Princípio (1969)
Terceira Idade (1982)
Monólogo a Duas Vozes (1986)
Autobiografia (1987)
A Morte É para os Outros (1988)

Obras sobre pintura

Vincent Van Gogh (1947)
Conflito e Unidade da Arte Contemporânea (1958)
A Paleta e o Mundo (1956, publicada depois em 5 volumes.)

Transcrito de “Wikipédia, a enciclopédia livre.”
Saiba mais sobre Mário Dionísio AQUI

Sem comentários:

Publicar um comentário